Ex-militares reconhecem Juan Guaidó como mandatário da Venezuela

0
267

Um grupo de 20 ex-militares e policiais venezuelanos pediu, nesta quinta-feira (17), para seus colegas de armas se rebelarem contra o ditador Nicolás Maduro.

A convocação foi feita durante a gravação de um vídeo em Lima, capital do Peru, onde os ex-militares declararam apoio ao chefe do Congresso, Juan Guaidó, que foi considerado o legítimo mandatário da Venezuela.

Segundo a revista “ISTOÉ“, o primeiro-tenente José Hidalgo Azuaje, que foi degradado e expulso do exército venezuelano em março de 2018, declarou:

“A intenção de nossa mensagem é criar consciência entre nossos colegas de armas, que têm dúvidas sobre se revoltar contra (o presidente Nicolás) Maduro, de que não estão sozinhos.”

Hidalgo, que é o porta-voz do grupo de ex-militares, acrescentou:

“Queremos que entendam que somos uma organização militar para que se unam a nós para a libertação, um levantamento, e que passamos dos milhares.”

Hidalgo aparece em um vídeo cercado por 20 homens uniformizados, lendo um pronunciamento contra Maduro e expressando seu apoio ao líder do Congresso, de maioria opositora, Juan Guaidó.

Em um trecho do pronunciamento desta quinta-feira (17), o porta-voz do grupo de ex-militares venezuelanos afirmou:

“Fazemos um chamado a todos os componentes da Força Armada nacional bolivariana (…) que não continuem nos quartéis sendo submetidos e utilizados por esses criminosos.”

“Hoje declaramos que não reconhecemos Nicolás Maduro como presidente da Venezuela e como comandante em chefe das forças armadas”

O documento também reconhece o “deputado Juan Guaidó em seu caráter de presidente da Assembleia Nacional como presidente interino da República Bolivariana da Venezuela”.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS