Refutando todos os argumentos contra a Monarquia Parlamentarista

0
673

Primeiro:

Na questão histórica. É inegável que chegamos ao ápice do Brasil durante o império. Vocês analisam um período de 67 anos apenas considerando 8 do primeiro reinado, o que é ridículo, ridículo mesmo.

O período “republicano” do Império, as regências, isso sim, um dos períodos mais conturbados do país. Com a chegada de Pedro II ao poder, especialmente em 1848, encontramos estabilidade como nunca mais houve na história do país.

Éramos uma das poucas monarquias constitucionais do mundo, depois, uma monarquia parlamentar que seria ainda mais aperfeiçoada (sim, é importante relatar isso, já que todo mundo julga o século XIX como se fosse hoje).

Chegamos a ter uma das marinhas mais poderosas do mundo. O único país da América do Sul a participar das feiras universais durante quase 30 anos! O Segundo foi a Argentina já em 1889.

A abolição da escravidão veio de forma gradual, evitando-se uma barbárie como nos Estados Unidos, custou o trono, infelizmente, como Princesa Isabel bem sabia e foi avisada., mas mesmo assim aboliu quando teve chance.

Crescimento da renda per capita maior que o dos EUA no mesmo período. Desigualdade? Que país não tinha?! Agora vocês esquecem quem jogou o país no lixo de crises? Logo nos primeiros anos. Inflação que era em média 1,5% ao ano, sobe absurdos, levando o preço dos produtos a aumentar 300% em apenas 5 anos! Encilhamento mandou lembranças!

Isso como se não bastasse o golpe republicano ter se firmado matando cerca de 100 mil pessoas entre a revolta da Armada, contestado, Canudos, Rev. Federalista e por aí vai…

Enfim, basicamente isso. Agora vamos para o regime em si, porque a monarquia é melhor.

Primeiro, repetir que estou falando de uma monarquia REPRESENTATIVA, ou seja, com democracia. Caso não saibam, monarquia é forma de governo, democracia é regime de poder, uma coisa não anula a outra.

Primeiro: Monarquias são mais baratas, economiza-se milhões/bilhões com eleições, visto que só ocorrem para o legislativo, isso sem contar que com isso, não acontece como nosso lindo país atualmente, onde empresários chegam a dar na casa dos bilhões para financiar campanhas, criando verdadeiros presidentes escravos, além de, claro, conchavos entre políticos também. Segundo: O rei é Chefe de Estado, cabe a ele questões diplomáticas, bem como: Aprovar o orçamento anual; Indicar ou aprovar o primeiro ministro; Desfazer o parlamento em caso de corrupção,ineficiência e pelo pedido do primeiro ministro, convocando novas eleições imediatamente; Entre outras coisas Terceiro: Mas qual a diferença do monarca para uma pessoa normal?

O monarca, por ser vitalício – cuidado com isso, ele pode perder a coroa, desde que vá de encontro à constituição federal- tem mais autonomia, além de ser educado desde sua infância para o cargo, uma família tradicional, como a nossa, tem interesse próprio que o país prospere, pois assim, sua família ganha nome e sua linhagem continuará OU SEJA, não depende apenas dele ser BOM, se ele for bom ótimo, mas é do INTERESSE DELE, logo , é algo natural, além do fato dele ser educado desde a infância, enfim, ou ele trabalha bem, ou cai, talvez até a dinastia dele, a vida da família está em jogo, é algo bem mais objetivo do que depender de puro patriotismo. É o que podemos chamar de “unir o útil ao agradável”. Não é por acaso as monarquias são os países com melhores desempenhos nos rankings.

Junte isso a tudo que eu disse no post. Vários mecanismo de democracia direta e semi-direta e um federalismo onde as atribuições nascem da seguinte forma, Município>Estados>União e não o contrário, aproximando o povo do seu governo e descentralizando ao máximo o poder.´

Por: Kristyan Patrick

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO