Vítima de ataque terrorista em Estocolmo era ativista de esquerda pró imigração

0
39

Picóloga belga, ativista pró imigração, que trabalhava em ações sociais para alocar refugiados em asilos afim de evitar possíveis deportações, identificada como a última vítima do ataque terrorista reivindicado pelo ISIS, nesta sexta-feira (07/04), em Estocomo.

Maïlys Dereymaeker, 31, estava à espera de amigos do trabalho na esquina onde o jihadista atacou.

Ela foi a primeira vítima a ser atingida pelo caminhão em alta velocidade e morreu na hora.

O investigadores forenses levaram dois dias para identificar seu corpo mutilado, com ajuda de amostras de DNA.

Dereymaeker, que era da pequena cidade de Lembeek, perto de Bruxelas e era mãe de um bebê de 18 meses, trabalhou com imigrantes ilegais enfrentando as autoridades contra deportações, assim como seu assassino, Rakhmat Akilov.

A psicóloga e entusiasta da música estava em Estocolmo para confraternizar com os amigos do trabalho.

Eles deveriam se encontrar na esquina daquela tarde. A Sra. Dereymaeker chegou cedo, quando o jihadista do Uzbequistão ligado ao ISIS atacou.

“É difícil para mim falar sobre sua morte”, “Ela tocava a flauta e ensinava música às crianças”, disse um amigo à imprensa local.

O prefeito de Lembeek,  da cidade belga de Halle, a sudoeste de Bruxelas, disse à agência de notícias Belga: “Encontrei com ela várias vezes. Conheço muito bem os pais dela. São pessoas muito agradáveis que viveram em Halle há muito tempo.”

Com informações de Daily Mail

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO