Jornalista da CartaCapital é condenado por chamar Paulo Martins de Fascista

0
136

ACABOU A BRINCADEIRA.

Quando se vêem sem argumentos, quando tudo que lhes resta é o desespero, os militantes de mentalidade revolucionária recorrem à bengala mais gasta do momento: “FASCISTA!”, bradam contra quem ousa manifestar opinião contrária à sua.

Fascismo é concentração de poder político e econômico na mão de um governo tirânico, autoritário e totalitário, disposto a coordenar a vida dos cidadãos por inteiros, de suas decisões morais a seus hábitos mais prosaicos. E isso é TUDO que liberais e conservadores não são e mais abominam.

Mesmo assim, a esquerda insiste em xingar de fascista toda e qualquer pessoa que ouse discordar de suas ideias – postura, aliás, pra lá de fascista. Ignoram que isso é uma ofensa séria, gravíssima. Os preceitos fascistas serviram de base para os totalitarismos sanguinários que vitimaram mais de 100 milhões de pessoas no último século, incluindo o nazismo e o comunismo.

Mas, agora, pensarão duas vezes antes de mentir, de projetar nos outros aquilo que são, cumprindo a orientação do ditador russo Vladimir Lenin (“Xingue-os do que você é acuse-os do que você faz”) – graças à coragem de Paulo Eduardo Martins, que processou e GANHOU a causa contra o ex-editor do site da Carta Capital, que o chamara de “fascista” (http://migre.me/uUZXh).

Nossa democracia é jovem, vacila aqui e ali, mas já passou da hora de termos maturidade, já passou da hora de mesmo os militantes (travestidos de jornalistas, de juízes, de políticos…) se responsabilizarem pelo que falam.

Como eles mesmos gostam de dizer: NÃO PASSARÃO!

Via: Marcel van Hattem

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO