A ingratidão contra a Rede Globo

0
403

Que muita gente gosta de bater na emissora Globo não é novidade para ninguém. Nenhum pré-requisito é necessário para tal posicionamento. Pode ser aluno de federal, playboy bancado pelos pais, trabalhador, dona de casa, empresário, pai de família, vovó, esquerdista, liberal, comuna, idiota útil, … Todos gostam de tirar uma casquinha da emissora por diferentes motivos.  

No entanto, se tanta gente critica tão acirradamente o mesmo objeto, podemos lançar a dúvida se os motivos são justos e coerentes para todos. Independentemente de críticas pontuais (não é esse o ponto deste texto), percebe-se que os críticos inseridos no espectro político mais à esquerda têm mais motivos para concordar com a emissora e não para criticá-la. Em outras palavras: esquerdistas em geral estão sendo mal-agradecidos.

A galera canhota, por exemplo, é reconhecidamente a favor do desarmamento. E a emissora? Também. Reportagens críticas a mudanças no respectivo estatuto, opiniões alertando para o tal retrocesso, “especialistas” ao vivo anunciando que sei lá quantas mil vidas foram poupadas graças ao estatuto. Imagina?! O Brasil vai virar um bang-bang a céu aberto, justificam.

A esquerda defende os muçulmanos independentemente de quantas centenas de atentados terroristas sejam cometidos por ano, muito menos de quantas pessoas morram. E a emissora? Sempre vem com aquele ar de que não tem relação entre terrorismo e islamismo ou com o velho clichê “a maioria é pacífica”. Por isso não podemos criticar os maometanos. No final das contas, esquerda e Globo unidas novamente.

A turma progressista abraça com todas as forças a ideologia de gênero e, com isso, bate pesado na instituição Família. “O que importa é o amor”, “toda forma de amor é válido”, “o importante é como a pessoa se sente”, “a família é patriarcal”, “novas formas de família”, mimimi. Pensem por três segundos (é mais que suficiente) sobre qual é o posicionamento do canal do clã Marinho nesse assunto. Percebeu que novamente esquerda e Globo concordam, né?! Basta assistir a qualquer telenovela ou ao programa Encontro com Fátima Bernardes, o mais nocivo do país, para perceber essa obviedade.

Continuando… Quais são os partidos queridinhos dos vermelhos? PT, PCdoB, PSol, Rede, principalmente. Agora, acompanhem os programas jornalísticos da Globo e GloboNews e observem quais são os políticos que mais aparecem. Forte candidato a campeão de aparições é Alessandro Molon, deputado federal pela Rede e ex-PT. Outros candidatos a tal título são Chico Alencar e Ivan Valente do PSol. Notem que, quando o assunto da matéria se trata de ética, Molon ou Chico Alencar aparecem como paladinos da moral com uma opinião pomposa para todo o país ouvir.

Já ficou bem exemplificado com os exemplos acima, mas há mais casos onde esquerda e Globo estão de mãos dadas. Ambas batem forte no presidente americano Donald Trump, usam eufemismos para tratar de bandidos, militam pela descriminalização da maconha, criticam a Polícia Militar, são a favor de cotas raciais, … Vixe, é exemplo que não se acaba. Se alguém tem reais motivos para não gostar da Globo, esse alguém está mais à direita. A esquerda deveria agradecer a emissora por divulgar suas pautas para milhões de pessoas diariamente. Ingratos!

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO