Coreia do Sul propõe diálogos com Coreia do Norte, talvez permita atletas do Norte irem às Olimpíadas

0
42

Funcionários sul-coreanos querem realizar conversações de alto nível com autoridades norte-coreanas na próxima semana para discutir duas questões: como aliviar as tensões militares e permitir que atletas norte-coreanos participarem das próximas Olimpíadas de Inverno em Pyeongchang.

“Esperamos que os dois lados se sentem para negociações francas”, disse o ministro sul-coreano da unificação, Cho Myoung-gyon, em entrevista coletiva, de acordo com o New York Times.

A presidente sul-coreana Moon Jae-in apoia as negociações propostas e disse recentemente que espera que os atletas norte-coreanos se juntem aos próximos Jogos Olímpicos de Inverno.

O ditador norte-coreano Kim Jong-un tinha ignorado os comentários de Moon, mas, em seu discurso de Ano Novo, finalmente respondeu ao expressar interesse que alguns atletas participassem. Ele disse que está “aberto ao diálogo” com a Coreia do Sul.

Mas, enquanto Kim manifestou interesse em enviar atletas à Coreia do Sul, ele também repetiu as ameaças nucleares contra os Estados Unidos, levando alguns especialistas a postularem que ele desejaria dividir ou separar os aliados históricos.

As autoridades sul-coreanas, porém, estão determinadas a avançar e querem uma reunião agendada em breve. Os Estados Unidos foram deixados à margem sobre os planos para uma reunião.

“Estamos ansiosos para discutir abertamente os interesses dos dois lados face a face com a Coreia do Norte, juntamente com a participação do Norte nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang”, disse o ministro Cho aos repórteres, informou a mídia australiana ABC.

Porém, alguns especialistas advertem que as negociações podem resultar numa armadilha do ditador norte-coreano.

“Lamento que o governo tenha perdido a flexibilidade para passar um dia ou dois respirando profundamente e analisando meticulosamente as motivações interiores de Kim Jong-un antes de dar uma resposta de boas-vindas”, disse Chun Yung-woo, ex-conselheiro de segurança nacional sul-coreano, à Reuters.

“O governo [sul-coreano] terá que se esforçar mais para criar uma contramedida para não ser pego numa armadilha criada por Kim Jong-un.”

Outro especialista disse que este poderia ser um momento crucial nas relações entre as Coreias.

“O fato de que eles estão se reunindo será significativo, porque sinaliza uma tentativa de ambos os lados para melhorar as relações”, disse Koh Yu-hwan, professor de ciência política na Universidade Dongguk, para a NDTV.

“O que a Coreia do Norte está tentando fazer é restabelecer suas relações (com Seul) como um Estado nuclear. O dilema do Sul é se podemos aceitar isso”, acrescentou Koh.

O lugar de encontro proposto seria o chamado “vilarejo da trégua” de Panmunjom, segundo a BBC. O vilarejo está situado na Zona Desmilitarizada fortemente protegida na fronteira dos dois países.

Os dois lados se encontraram em negociações de alto nível em dezembro de 2015, mas essas negociações terminaram sem qualquer acordo.

As Olimpíadas de Inverno começarão em fevereiro em Pyeongchang. A Coreia do Sul também sediará os Jogos Paraolímpicos em março.

Fonte – Epoch TimesNTD Television

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO