Após ser espancado por hindus, pastor pula de carro em movimento para salvar sua vida

0
39

O pastor Jayaseelan Natarajan está enfrentando uma verdadeira batalha no distrito de Karur, na Índia. Ele e seu filho foram covardemente atacados por um grupo de hindus que não desejam a construção de um templo cristão na região conhecida como Thozilpettai, localizado no estado Tamil Nadu.

O pastor contou sua história para a organização Morning Star News, que auxilia cristãos perseguidos em várias partes do mundo.

Segundo Natarajan, no último dia 20 ele estava na área de construção da igreja, junto com seu filho, Samuel, quando dezenas de hindus, provavelmente do grupo nacionalista Rashtriya Swayamsevak Sangh, invadiram o local.

“Perguntamos o que estava errado e por que eles estavam entrando nas instalações. Eles não prestaram atenção, pegaram vasos de flores e os esmagaram”, contou, lembrando que o seu filho, mesmo atingido por um bastão de madeira, conseguiu escapar.

O pastor foi perseguido e espancado. Ele havia chamado uma ambulância, mas os agressores despistaram o veículo, dizendo que não havia ninguém precisando de ajuda naquela região.

“Eu andei mancando e sangrando pela rua e implorei para a ambulância parar. Eu disse ao motorista quem eu era, mas ele me disse que só deveria pegar as pessoas do endereço que havia sido mencionado”, lembra o pastor.

Nesse percurso Natarajan encontrou com um homem conhecido por “Gobi”, que é advogado e amigo de um dos hindus que promoveram o ataque ao pastor. Ele pegou o religioso e o forçou entrar no seu carro.

“Ele ordenou ao motorista que nos levasse a um lugar desolado e disse que eu deveria ser morto naquele local”, disse o pastor.

“Pela graça de Deus, depois de viajar cerca de um quilômetro, havia uma rotatória e disjuntores de velocidade na estrada, e o motorista desacelerou o carro. Eu silenciosamente soltei a porta do carro e pulei rapidamente”.

A tentativa de fuga não adiantou muito, pois Gobi retornou e recapturou o pastor. Em seguida eles foram para a delegacia e lá o advogado acusou o pastor de administrar um bordel e ter cometido adultério.

Naquele momento o pastor Natarajan percebeu que não estava lidando apenas com extremistas hindus, mas com uma perseguição religiosa sistêmica, institucionalizada, isto é, envolvendo autoridades políticas e policiais.

Natarajan foi levado para um hospital para se recuperar dos ferimentos. De volta para a delegacia, mesmo tendo explicado sua situação e prestado queixa, ele disse que o Delegado se negou à prestar ajuda.

“Quando perguntei por que ele não queria levar minha queixa contra Gobi, ele me ameaçou e disse que haveria uma contra-reclamação contra mim se ele registrasse o nome de Gobi”, disse o pastor, segundo informações do Christian Post.

Para o advogado do pastor, Ranjendran Ramasamy, esse caso mostra o quanto a perseguição religiosa aos cristãos na Índia possui forte relação com autoridades políticas.

“A polícia se recusou a registrar um BO (Boletim de Ocorrência) baseado na queixa do pastor Natarajan. Isso mostra o quão politicamente poderosos os atacantes são, que até mesmo a polícia não pode nomeá-los em um BO”, disse o advogado.

Fonte – Gospel Mais

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO