França proíbe uso de dispositivos móveis em escolas com nova lei

0
30

Cada instituição “com fins educativos” poderá estabelecer regras especiais para crianças com deficiências ou em alguns procedimentos

Em 30 de julho, o Parlamento Francês adotou a proibição dos telefones celulares nas escolas e faculdades. No final de agosto serão enviadas às escolas instruções sobre como fazer cumprir a lei.

“Estamos votando para proibir o uso de telefones celulares em todas as escolas e faculdades da França”, disse em seu Twitter Sylvain Maillard, deputado de Paris. “A lei será aplicada a partir do próximo ano letivo, que começa em setembro”.

A nova lei faz parte de uma promessa de campanha do presidente Emmanuel Macron. Ela foi votada por deputados presidenciais e centrais, enquanto a oposição se absteve, argumentando que se trata apenas de uma “exibição política”, segundo o jornal Le Devoir.

“A Assembleia Geral aprovou definitivamente a proibição geral de telefones celulares nas escolas e faculdades. Compromisso realizado”, escreveu o presidente francês na tarde de segunda-feira (30) em seu Twitter.

A proibição afeta estudantes com idades entre 11 e 15 anos. Nova lei proíbe o uso de quaisquer objetos que possam ser usados para comunicação, incluindo tablets e relógios.

(Fred Dufour/AFP/Getty Images)
(Fred Dufour/AFP/Getty Images)

No entanto, cada instituição “com fins educativos” poderá estabelecer regras especiais para crianças com deficiências ou em alguns procedimentos. Atividades relacionadas ao esporte também serão afetadas nos sistemas educacionais.

No caso das escolas secundárias, estas terão a possibilidade, mas não a obrigação, de proibir telefones celulares e outros objetos de comunicação, no todo ou em parte, segundo o Le Devoir.

O vice Cedric Roussel disse que “para tornar claros os termos desta proibição, o Ministério publicará no final de agosto um manual para acompanhar as instituições na implementação desta lei”.

“Fico feliz que este direito à desconexão seja efetivo desde o início do ano letivo”, disse a deputada Cathy Racon Bouzonm, destacando a tecnologia digital para usos pedagógicos.

França já possuía uma lei de 2010 do Código de Educação proibindo telefones celulares “durante qualquer atividade de ensino”, mas que não foi efetivamente aplicada. O ministro da Educação, Jean-Michel Blancher, explicou que esta proibição carecia de um apoio jurídico sólido, como é o caso da nova lei, que foi votada e que recebeu um único voto contra.

“Depois do Senado, esta foi a aprovação final da lei feita pela Assembleia Nacional com um único voto contra”, disse Blanquer em seu Twitter.

Fonte – Epoch Times

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO