Monte Castelo: 74 anos da maior conquista da FEB

0
209

Em uma manhã cinzenta do inverno europeu, em fevereiro de 1945, brasileiros colocaram seus capacetes, apanharam seus fuzis e iniciaram pela quinta vez a marcha rumo a uma mesma fortificação da Alemanha Nazista no norte da Itália.

Depois de três tentativas de conquistar a fortaleza de Monte Castelo, os pracinhas brasileiros, liderados pelo general Mascarenhas de Moraes, adotariam uma tática diferente desta vez.

Desde setembro do ano anterior, os soldados da Força Expedicionária Brasileira (FEB) integravam uma operação para romper a temida Linha Gótica, um amplo sistema defensivo alemão para tentar conter o avanço das forças aliadas que ocupavam o sul da Itália.

O objetivo dos Aliados era chegar ao território alemão e pôr fim à Segunda Guerra Mundial, que já durava cinco anos.

A conquista de Monte Castelo pela FEB

Linha Gótica tinha 280 km de extensão e 2 mil pontos de fortificação. Formada por tropas experientes, muitas delas vindas da frente russa, a linha defensiva ia do Mar Tirreno ao Mar Adriático, passando pelas montanhas dos Apeninos.

Um desses pontos ficava a uma altitude de 977 metros, no Monte Castelo. A artilharia alemã impunha uma severa vigilância às tropas aliadas e impedia sua chegada à cidade de Bolonha e ao Vale do Pó, a maior planície italiana.

Foto: Arquivo do Exército brasileiro

O Monte Castelo havia sido quatro vezes alvo dos soldados do Brasil, no fim de 1944. Na quarta tentativa, as tropas brasileiras e americanas ficaram expostas ao bombardeio alemão e contaram cerca de 150 mortes. Estima-se que 400 brasileiros tenham morrido ou ficado feridos nas quatro vezes, registra o Metro Jornal.

As condições do tempo melhoraram em fevereiro. Na manhã do dia 21, o general Mascarenhas de Moraes usou duas divisões. Um grupo seguiu pela direita e outro em ataque frontal. À esquerda, um grupo de elite das forças dos Estados Unidos.

Após 12 horas de um árduo e intenso combate contra um implacável e bem fortificado inimigo, agravado por um terreno íngreme e frio intenso, a 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária (DIE) conquistava o seu maior objetivo: Monte Castelo.


Soldados da FEB atuando em Monte Castelo | Foto: Arquivo/Exército brasileiro

Foram 239 dias de ação contínua dos soldados da FEB contra as tropas nazistas, com vitórias em oito campos de batalha.

O êxito das tropas brasileiras coroou a dedicação, a coragem, a abnegação e a fé inquebrantável dos pracinhas, consolidando o prestígio da FEB junto aos aliados.

Para celebrar a maior batalha da Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial, todos os anos, uma semana de atividades é realizada, com direito à exposição de viaturas antigas, exibição de filmes, palestra, visitas guiadas ao Museu do Expedicionário, dentre outras atividades, como noticiou a RENOVA.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS