Quatro casos de tortura sexual feito pelo regime comunista da China

0
1133
Encarcerados seguidores do Falun Dafa na China são rotineiramente submetidos a tortura e violência sexual, incluindo estupro em grupo (Minghui.org)

“Nossa investigação mostrou que o sistema de reeducação pelo trabalho, em sua privação ilegal de liberdade, foi abusivo além da imaginação”, escreveu Gao

Em dezembro de 2005, o advogado de direitos humanos Gao Zhisheng publicou sua terceira carta aberta aos altos funcionários chineses pedindo o fim da campanha de perseguição aos praticantes do Falun Dafa (também conhecido como Falun Gong) lançada pelo Partido Comunista Chinês em 1999. Ele havia viajado para várias províncias para investigar os abusos contra os praticantes enquanto eles estavam detidos e incluiu alguns de seus relatos na carta.

“Nossa investigação mostrou que o sistema de reeducação pelo trabalho, em sua privação ilegal de liberdade, foi abusivo além da imaginação”, escreveu Gao.

A seguir, trechos de quatro relatos de praticantes incluídos na carta, intitulado “Precisamos parar imediatamente a brutalidade que afoga a consciência e a moralidade da nossa nação”. Os trechos são apenas um pequeno exemplo da tortura cruel que esses quatro praticantes enfrentaram por repetidas detenções.

Tortura sexual com escova de vaso sanitário (Chang Xuexa, Dalian)

“O enxame de detentos me atingiu e me chutou de todos os lados. Eu desmaiei. Eles me largaram no chão e pisaram com força no meu rosto e braço para ver se eu estava fingindo. Quando acordei, não consegui mexer o braço esquerdo, pois meu cotovelo estava deslocado.

“Eu ainda me recusei a renunciar ao Falun Dafa. Eles me despiram, e vários internos começaram a beliscar meus seios, arrancar meus pelos púbicos e golpearam minha vagina. Eles usaram uma escova que normalmente limpava o vaso sanitário. Eles então colocaram uma bacia debaixo da parte inferior do meu corpo para ver se eu estava sangrando. Como não saía sangue, os internos mudaram para uma escova maior e repetidamente golpearam minha vagina com ela.

“O que eu sofri no campo não foi o mais brutal. Outra praticante chamada Wang Lijun foi torturada na pequena gaiola de metal três vezes. Os presos amarravam muitos nós em uma corda grossa e puxavam-na para frente e para trás em um movimento de serragem através de sua vagina. Toda a sua parte inferior do corpo inchou. A chefe da polícia então ordenou aos internos que espetassem sua vagina inchada com a extremidade espinhosa de um esfregão quebrado. Essa tortura fez com que a vagina da sra. Wang sangrasse profusamente. Seu abdômen e vagina estavam tão inchados que ela não conseguia levantar as calças, sentar ou urinar. Wang ainda não conseguia se sentar dois meses depois da tortura sexual. Suas pernas também estavam desabilitadas. Eu também testemunhei esses detentos aplicando essa mesma tortura em uma virgem. O policial chefe também colocou insetos venenosos nos corpos de mulheres praticantes”.

Vagina Esmagada com Haste de Ferro (Liu Shuqin, Changchun)

“Como não havia pele boa no meu corpo [devido a muitos dias de tortura], os policiais começaram a chocar minhas partes íntimas com bastões elétricos e perfuraram-nas. Depois usaram uma barra de ferro para esmagar minhas partes íntimas. Eu desmaiei.”

“Meia hora depois, eles saíram para ver se eu ainda estava viva. Eu não sabia quanto tempo passou antes do amanhecer. Eu já estava à beira da morte. Fui levada para o departamento de polícia da cidade de Changchun. Havia muitas pequenas células, cada uma com um banco de tigre dentro. Havia praticantes do Dafa em todos os bancos de tigres. A maioria deles havia desmaiado, com as partes inferiores dos corpos nuas ou com apenas um pano cobrindo o corpo”.

Humilhação incessante e agressão Sexual (Wang Yuhuan, Dalian)

“Nós, as mulheres praticantes, fomos todas despidas e amarradas com os membros afastados em uma cama por mais de 26 dias. Sofremos incessante humilhação e agressão sexual por parte de policiais, médicos e internos do sexo masculino.

“Eles algemaram minhas mãos nas minhas costas e colocaram um saco de pano na minha cabeça. Eles usaram uma corda para apertar o saco no meu pescoço para que eu não pudesse ver nada e eu mal conseguia respirar. Então eles me amarraram usando cordas e me colocaram no porta-malas do carro da polícia. Eles dirigiram para uma montanha onde eles torturavam brutalmente os praticantes do Falun Dafa à vontade. Muitos colegas praticantes foram torturados até a morte neste lugar. O Sr. Liu Haibo foi despojado de todas as suas roupas e obrigado a se ajoelhar. A polícia forçou o bastão elétrico mais longo que encontrou no ânus de Liu e deu um choque elétrico em seus órgãos. Ele morreu imediatamente.

“Sr. Liu Yi, um médico do Hospital Distrital de Luuyuan, tinha trinta e poucos anos quando foi torturado até a morte no buraco do diabo. Vinte e três praticantes foram torturados até a morte por lá. Eu conhecia muitos deles. A polícia simplesmente enterrou seus corpos em um buraco. Xiang Min, uma bonita praticante do Dafa, foi levada de volta após uma rodada de tortura. Ela me disse que a polícia a assediava sexualmente enquanto aplicava choques elétricos. Cerca de 30 praticantes foram torturados até a morte nessa rodada de detenções”.

Tortura sexual com bastão elétrico (Wei Chun, Changchun)

“Eles não me permitiram dormir cinco dias e noites. Minhas mãos estavam algemadas nas minhas costas o tempo todo. Eles colocaram cigarros acesos nas minhas narinas e boca. Minha boca estava cheia de cigarros. Houve um momento em que um policial bateu na minha cabeça com um bastão de ferro.

“Em 4 de junho, o sr. Liu Yonglai, o sr. Qu Fei, o sr. Huang Wenzhong e eu fomos levados ao 4º andar. Eles tiraram todas as roupas do sr. Liu Yonglai e minhas algemas e nos colocaram juntos cara a cara. Eles usaram seis bastões elétricos em nós dois e nos chocaram em nossas cabeças, costas, coxas, genitais, ambos os lados de nossos peitos e pescoços.

“Os choques elétricos continuaram por cerca de uma hora e depois eles nos separaram. Eles algemaram as mãos de Liu nas costas e o fizeram rastejar na grama. Colocaram duas cadeiras nas costas e pediram que dois criminosos se sentassem nas cadeiras. Então, outros seis criminosos usaram seis bastões elétricos totalmente carregados e repetidamente chocaram suas costas, nádegas, pescoço, panturrilhas, solas de seus pés e genitais ao mesmo tempo. Eles até colocaram seu pênis para fora para chocá-lo separadamente”.

Nota do editor: O Conservadorismo do Brasil está publicando uma série de artigos expondo o uso da tortura pelo regime comunista chinês contra os grupos que ele considera como alvo, bem como o sofrimento e o dano que isso causa às pessoas submetidas a ele.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS