Terrorista Adélio Bispo queria ser deputado federal

0
203

Adélio respondia pelo crime de “atentado pessoal por inconformismo político”, mas foi absolvido pela Justiça.

Na sentença de Adélio Bispo de Oliveira, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara da Justiça Federal de Juiz de Fora (MG), registrou que, em depoimento, o autor do atentado ao presidente da República, Jair Bolsonaro, tinha um projeto político.

“O réu mencionou, inclusive, sua pretensão de ser candidato ao cargo de Deputado Federal por partido de ideologia contrária à da vítima”, observou o magistrado, segundo O Antagonista.

No notebook que ele usava, a Polícia Federal (PF) encontrou contatos de pessoas, partidos e organizações de esquerda. O esfaqueador foi filiado ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) até o ano de 2014.

Apesar da absolvição obtida na última sexta-feira (14), Adélio Bispo será internado na Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Campo Grande (MS), que possui espaço para tratamento de sua doença, enquanto não for verificada a cessação de sua periculosidade.

Bolsonaro disse que há um “circo armado”, e acrescentou que vai recorrer da sentença:

“O circo armado [é] que, a partir desse momento, se não houver recurso e [o processo] for transitado em julgado, se caso o Adélio queira falar quem pagou a ele para tentar me assassinar, não tem mais valor jurídico, ele é maluco.”


CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO