Joesley Batista afirma ter pago propina de R$ 2 milhões ao deputado e sua irmã em 2017.

A Justiça Federal de São Paulo ratificou, nesta sexta-feira (5), a decisão da 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) que tornou o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) réu pelos crimes de corrupção passiva e obstrução.

No mês de abril de 2018, o colegiado decidiu por 4 votos a 1 aceitar a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) que acusou o tucano do recebimento de R$ 2 milhões da empresa JBS em 2017.

Aécio também foi denunciado por supostas articulações para “embaraçar” e “constranger” as investigações da Operação Lava Jato, informa a revista Veja.

O advogado de Aécio, Alberto Zacharias Toron, afirmou que “não há fato novo “e que vai “provar que Aécio foi vítima de ação criminosa de Joesley Batista”, registra o site G1.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK