Polícia investiga Najila por falsa comunicação de crime

0
29

Delegada concluiu inquérito sem indiciar o jogador; modelo afirma que foi agredida e estuprada por Neymar em um hotel em Paris.

A delegada Juliana Lopes Bussacos, titular da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, encerrou, nesta segunda-feira (29), as investigações sobre as acusações de estupro e agressão feitas pela modelo Najila de Souza contra o jogador de futebol Neymar Júnior.

A polícia decidiu não indiciar o jogador de futebol pelos supostos crimes. O Ministério Público (MP) terá 15 dias para avaliar a decisão da delegada e elaborar um parecer. As conclusões do MP e da Polícia servirão como base para a decisão judicial, informa a revista ISTOÉ.

Agora, a Polícia Civil de São Paulo começa a investigar se a modelo cometeu falsa comunicação de crime ou denunciação caluniosa contra o jogador.

O diretor do Departamento Polícia Judiciária (Decap), Albano de Paula Santos, disse, nesta terça-feira (30), que “todo mundo que movimenta o estado, a polícia, por uma inverdade pode ser punido, e existe esta investigação, sim”.

Procurado pelo site G1, o advogado Cosme Araújo, que defende Najila, disse que aguarda ter acesso ao relatório do inquérito para se pronunciar.

A investigação contra Neymar foi concluída pela delegada Juliana antes mesmo de chegarem ao Brasil as imagens do hotel onde Najila e Neymar se encontraram, em Paris, capital da França, no dia 14 de maio.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS