Tabata Amaral pagou ao namorado com dinheiro do Fundo Partidário

0
89

Apesar de questionável, empregar o namorado durante a campanha não pode ser considerado ilegal, uma vez que, à época, a hoje parlamentar não havia assumido o cargo público.

Com dinheiro do Fundo Partidário, a então candidata a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) contratou seu namorado, o colombiano Daniel Alejandro Martínez, para trabalhar em sua campanha eleitoral de 2018.

Martínez trabalhou por 50 dias na área de análise estratégica. Ele recebeu R$ 23.050 pelos serviços prestados. As informações do pagamento estão na prestação de contas da deputada no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Questionada pela revista Exame, a assessoria de imprensa de Tabata afirmou que ela “cumpriu as leis eleitorais na contratação de seus serviços e pessoas. Todas as informações são públicas e estão no portal do TSE. A deputada não vai comentar o assunto”.

Durante a eleição, Tabata recebeu cerca de R$ 1,3 milhão. O maior doador foi a direção nacional do PDT, que repassou R$ 100 mil para a agora deputada. E, segundo a prestação de contas da campanha ao TSE, Martínez recebeu o quarto maior pagamento da campanha dado a pessoas físicas.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS