Chanceler do Brasil critica ausência de debate sobre aquecimento global

0
54
Ministro Ernesto Araújo concede coletiva de Imprensa sobre o acordo Mercosul-União Europeia. Foto: Raylson Ribeiro/MRE

“Há indícios de que a teoria é falsa. E há insuficiência de indícios de que a teoria seja verdadeira”, afirmou Ernesto Araújo sobre o aquecimento global.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou que os especialistas que ousam questionar a teoria do aquecimento global são alvos de distorções, mentiras e demonização.

“Por que será que as pessoas gostam tanto de distorcer os argumentos que questionam a teoria do aquecimento global? Por que gostam tanto de mentir e demonizar, por que têm tanto medo a ouvir e debater?”, questionou Araújo em mensagem lançada, neste domingo (4), na rede social Twitter.

Araújo não parou por aí. Em extenso artigo publicado no seu blog pessoal “Metapolítica Brasil, o chefe do Itamaraty afirma que “existem elementos científicos capazes de colocar em questão a teoria do aquecimento global”.

“Há indícios de que a teoria é falsa. E há insuficiência de indícios de que a teoria seja verdadeira”, acrescentou o chanceler do Brasil.

“Dezenas de reputados cientistas questionam, de diferentes maneiras, a teoria de que o mundo se encontra num processo de aquecimento sem precedentes e catastrófico originado pelo aumento de emissão de dióxido de carbono proveniente da atividade humana”, adicionou Araújo, citando os nomes de Richard Lindzen, Roy Spencer, Roger Pielke Jr., Nir Shaviv e Patrick Michaels.

Com relação a especialistas do Brasil, o ministro disse que “temos o privilégio de contar com o trabalho absolutamente fundamental do Professor Ricardo Felício sobre o tema”. Araújo também divulgou o vídeo de uma apresentação recente de Felício no Senado Federal. Confira abaixo:

Araújo também deixou claro que “questionamentos à base científica da teoria do aquecimento global não implicam de forma nenhuma o propósito de desmatar”, pois “o controle do desmatamento tem mérito em si mesmo, independentemente de aderir-se ou não à teoria do aquecimento global”.

“O Brasil está comprometido com a preservação e melhoria da qualidade ambiental em todas as suas vertentes. Mesmo que a temperatura média da terra comece a esfriar (o que pode ocorrer), continuaremos trabalhando contra o desmatamento ilegal, a favor da qualidade do meio ambiente urbano, pela despoluição dos oceanos, etc”, completou o ministro.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS