Editor do New York Times admite que foco é conectar Trump ao racismo

0
40

“Acho que temos que mudar, escrever mais profundamente sobre o país, a raça e outras divisões”, afirmou o editor do New York Times ao falar sobre Donald Trump.

Dean Baquet, editor-executivo do The New York Times, afirmou que o jornal precisa mudar o foco de sua cobertura do falso conluio entre Donald Trump e a Rússia para o suposto racismo do presidente dos Estados Unidos.

“Nós construímos nossa redação para cobrir uma história, e fizemos isso realmente bem. Agora temos que nos reagrupar e transferir recursos e ênfase para cobrir uma história diferente”, afirmou Baquet.

Baquet fez as declarações em uma prefeitura de funcionários na semana passada. Uma gravação vazou para o site Slate, que publicou uma transcrição na quinta-feira, 15 de agosto.

Segundo o chefe do NY Times, após o relatório do procurador especial Robert Mueller apontar que a campanha de Trump não conspirou com a Rússia para influenciar a eleição de 2016, o jornal precisou mudar o foco da sua narrativa.

Dean Baquet explicou:

“No dia em que Bob Mueller saiu do banco das testemunhas, duas coisas aconteceram. Nossos leitores que querem que Donald Trump vá embora de repente pensaram: ‘Puta merda, Bob Mueller não vai fazer isso’.”

E acrescentou:

“Donald Trump ficou um pouco encorajado politicamente, eu acho, porque, você sabe, por razões óbvias. E eu acho que a história mudou. […] É um pouquinho chato. Quero dizer, é o que acontece quando uma história parece certa por dois anos. Certo?”

Baquet usou os termos mais gentis possíveis para descrever a atuação do jornal nos últimos anos, mas o fato é que a narrativa de conluio russo que o NY Times se dedicou a provar acabou sendo uma grande farsa.

O editor-executivo do NY Times continuou:

“Acho que temos que mudar, escrever mais profundamente sobre o país, a raça e outras divisões.”

E completou:

“O foco da cobertura para os próximos dois anos é sobre o que eu falei antes: como nós cobrimos um cara que faz esse tipo de comentário? Como podemos cobrir a reação do mundo a ele? Como fazemos isso enquanto continuamos a cobrir suas políticas? Como cobrimos a América, que se tornou tão dividida por causa de Donald Trump?”

Em mensagens publicadas no Twitter, neste domingo (18), Trump disse que o New York Times “não é nada mais que uma maligna máquina de propaganda do Partido Democrata”.

“O New York Times quebrará logo após eu deixar o cargo, espero que daqui a 6 anos. Eles têm credibilidade zero e estão perdendo uma fortuna”, acrescentou Trump.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS