Se tiver que ir para a guerra, levo Moro e Dallagnol comigo’, afirma Mourão

0
114

Vice-presidente concedeu entrevista exclusiva à Rádio Guaíba 

Em entrevista exclusiva à Rádio Guaíba, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse confiar no ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em relação ao caso do vazamento de conversas da operação Lava Jato. Para Mourão, o ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba foi vítima de um crime. O vice-presidente estendeu sua confiança ao Procurador da República Deltan Dallagnol e a demais membros da força-tarefa no Ministério Público Federal. “Se eu tiver que ir para a guerra, eu levo o Sergio Moro e o Deltan Dallagnol comigo”, afirmou no programa Direto ao Ponto.

Mourão questionou a legitimidade dos dados revelados pelos jornalistas do site The Intercept Brasil. O general disse que a ação é de responsabilidade de algum grupo ainda não conhecido. “Pode ser tudo editado, nós não temos acesso aos documentos e aos diálogos reais que podem ter acontecido”, levantou. O vice-presidente ainda afirmou que os responsáveis pelo vazamento “buscam atacar aquilo que é o maior patrimônio das pessoas de bem, que é a honra e a dignidade” dos citados.

O vice-presidente reconheceu que o vazamento causa reflexos na tramitação de pautas do governo no Congresso. “Está causando algum ruído”, ponderou. No entanto, Mourão disse que os impactos são limitados a alguns grupos. Sobre a Reforma da Previdência, o vice-presidente afirmou que a medida é fundamental para que se reorganize a situação fiscal do país. “Nós consideramos a Reforma da Previdência aquela que abre o caminho para que outras reformas possam ser implementadas”, afirmou ressaltando a necessidade de se conquistar a confiança de investidores.

Mourão visita o Rio Grande do Sul nesta sexta, quando participa de ato solene de inauguração da Fenavinho em Bento Gonçalves. Durante a tarde, o vice-presidente recebe o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre. Já no sábado, o general vai a Santa Maria, onde participará da inauguração de prédios da UFSM e da Festa Nacional da Artilharia, no Regimento Mallet do Exército.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO