Deputados do PT e PSOL repudiam indicação de Augusto Aras à PGR

0
1136

Marcelo Freixo afirmou que Augusto Aras é “abertamente submisso” à “agenda fanática” de Jair Bolsonaro.

A indicação de Augusto Aras para a chefia da Procuradoria-Geral da República (PGR) não irritou apenas procuradores e uma parte do eleitorado do presidente Jair Bolsonaro, deputados de partidos de esquerda também teceram duras críticas ao subprocurador-geral.

A deputada Erika Kokay, do Partido dos Trabalhadores (PT) do Ceará, por exemplo, disse que a entrada de Aras na PGR refletia o “medievalismo”.

O parlamentar Paulo Pimenta (PT-RS), também através do Twitter, levantou o questionamento: “em que planeta estavam estas pessoas quando achavam que Bolsonaro iria fazer algo diferente?!”

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) disse que a decisão de Bolsonaro “acelera o processo de desestruturação da democracia”.

Mas o PT não é o único partido de esquerda criticando a indicação de Aras ao importante cargo de PGR.

O deputado Ivan Valente, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) de São Paulo, disse que o “autoritarismo” de Bolsonaro “está a serviço da impunidade”.

A deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ) disse que “Bolsonaro não respeita as instituições brasileiras. Quer transformá-las em puxadinhos de seus interesses”.

Já o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) afirmou que Augusto Aras é “abertamente submisso” à “agenda fanática” de Bolsonaro. Ele também acusou o chefe do Executivo de comprometer a independência da PGR.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS