Felipe Neto que distribuiu livros LGBT indicou Tinder para menores de idade

0
599

youtuber Felipe Neto, que comprou 14 mil livros de temática LGBT para distribuir ao público da Bienal do Rio de Janeiro, em protesto contra retirada de material infantil impróprio pela Prefeitura, já recomendou, em um de seus vídeos, o uso do aplicativo Tinder para menores de idade.

No próprio site do aplicativo de encontros adultos, há o aviso de restrição a menores de 18 anos. Mesmo assim, isso não inibiu o youtuber a fazer um vídeo chamando a atenção para os “perfis mais engraçados do Tinder”.

O canal de Felipe Neto é um dos mais acessados do país, com 34 milhões de inscritos, a grande maioria menores de idade. Muitos pais vem denunciando o conteúdo de seus vídeos e do seu livro, vendido em diversas livrarias e até em supermercados.

Felipe Neto, popular entre crianças (crédito: montagem site da revista Veja)

Em uma entrevista concedida à Veja, em 2018, o youtuber declarou ter plena consciência de que é seguido por uma maioria de menores de idade.

Sei muito bem que a dimensão da minha audiência, atrelada ao fato de que a maior parte dela é formada por crianças, faz com que eu tenha uma grande responsabilidade sobre o que falo, ou acerca de como me posiciono diante de vários temas”

Na entrevista, intitulada “Ele faz a cabeça dos seus filhos“, o youtuber confessa ainda que

“O que eu digo pode ser depois reproduzido pela criançada em casa, na escola, em conversas com amigos”.

Os vídeos de Felipe Neto contam com uma indicação etária, que no vídeo sobre perfis do Tinder aparece como para maiores de 13 anos, portanto, de menores. Mesmo assim, seus vídeos são assistidos por crianças de várias idades e os pais precisam ficar atentos à atividade de seus filhos na internet, já que a indicação etária de Felipe Neto obviamente não será um inibidor da curiosidade de crianças menores, como explica o youtuber Nando Moura, autor de um alerta sobre Neto.

Nando Moura denuncia, em seu vídeo, que Felipe Neto já indicou links pornográficos e de conteúdo forte para que seu público acessasse, a pretexto de protestar contra a pedofilia.

Após o episódio da compra de 14 mil títulos de temática LGBT para ser distribuído ao público da Bienal, um dos assuntos mais comentados do Twitter foi o alerta aos pais de crianças sobre o conteúdo dos vídeos de Neto, que conta com apologia a pornografia, homossexualismo e outros temas impróprios a menores de idade, maior parte do seu público.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO