MP mira parceria entre PCC e PT para derrubar portaria de Moro

0
32

O objetivo da parceria era derrubar uma portaria do ministro Sérgio Moro que endureceu as regras nas penitenciárias federais.

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) encontrou mensagens no celular de Dércio Gouveia Luiz, comparsa de Marcola, indicando pagamentos feitos a advogados ligados ao Partido dos Trabalhadores (PT), segundo reportagem exibida pela Record TV.

Dércio Português, como é conhecido no mundo do crime, era responsável pelo controle do fornecimento de drogas e pela arrecadação de dinheiro da facção Primeiro Comando da Capital (PCC).

A reportagem revelou que o dinheiro do pagamento a advogados teria sido usado para mover ações no Supremo Tribunal Federal (STF) e na Organização dos Estados Americanos (OEA) com o objetivo de derrubar uma portaria do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que endureceu as regras nas penitenciárias federais.

É a segunda vez que uma possível ligação do PT com o PCC é revelada neste ano de 2019. Em abril, como noticiou a RENOVA, conversas entre os criminosos foram interceptadas pela Polícia Federal (PF), revelando que a facção tinha um “diálogo cabuloso” com a sigla.

Em postagem na rede social Twitter, o presidente da República, Jair Bolsonaro, compartilhou um vídeo da reportagem da Record TV.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS