Em estatuto, novo partido de Bolsonaro defende Deus, família, armas e repúdio ao comunismo

0
27

Durante convenção do partido Aliança pelo Brasil, o presidente Jair Bolsonaro fez um discurso baseado em ações de governo.

Ele agradeceu ao PSL, mas disse que, por conta de uma ‘desunião’, foi necessária a criação do novo partido.

No final do discurso, presidente fez questão de citar o caso Marielle Franco e fez duras críticas ao governador do Rio Wilson Witzel. Mesmo sem existir oficialmente, executiva do partido já está formada. Como já esperado, o próprio Jair Bolsonaro é o presidente da legenda, o filho dele Flávio Bolsonaro é o vice e entre os que ocupam a executiva nacional está o filho mais novo do presidente, Jair Renan.

Na convenção, foram lidas as diretrizes e o estatuto do novo partido. Aliança pelo Brasil diz que repudia o socialismo e o comunismo e que vai se empenhar para que eles sejam eliminados. O estatuto é em defesa dos militares, da família, da posse de armas e de valores religiosos.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS