ONG vendeu fotos de incêndio na Amazônia para obter doações

0
79
Polícia diz que instituição recebeu cerca de R$ 300 mil após fogo em área de proteção

Durante as investigações da Operação Fogo de Sairé, realizada pela Polícia Civil do Pará, que resultou na prisão de quatro membros de uma ONG, nesta terça-feira (26), pela autoria dos incêndios ambientais na região de Alter do Chão em setembro deste ano, as autoridades descobriram que a organização de que eles faziam parte conseguiu um contrato com a WWF para venda de 40 imagens que foram usadas para obter doações internacionais, como a do ator Leonardo di Caprio.

– Começamos a acompanhar toda a movimentação dos quatro suspeitos. Percebemos que a pessoa jurídica deles conseguiu um contrato com a WWF, venderam 40 imagens para a WWF para uso exclusivo por R$ 70 mil, e a WWF conseguiu doações como do ator Leonardo DiCaprio no valor de US$ 500 mil para auxiliar as ONGs no combate às queimadas na Amazônia – disse o delegado de Polícia Civil do Interior, José Humberto Melo Jr.

Ainda de acordo com a polícia paraense, a intenção dos brigadistas responsáveis pelo incêndio ambiental era captar dinheiro para o projeto que eles participavam, a ONG Projeto Saúde e Alegria (PSA). O delegado Melo Jr. declarou que a polícia investiga a participação da ONG no recebimento de doações para a Brigada de Alter do Chão, após o incêndio na APA, cujos valores seriam de cerca de R$ 300 mil.

Procurada, a WWF informou que possui contrato de parceria técnico-financeira com o Instituto Aquífero Alter do Chão, e que o valor de pouco mais de R$ 70 mil foi destinado à compra de equipamentos para as atividades de combate a incêndios florestais pela Brigada de Alter do Chão. Já a ONG Saúde e Alegria disse que desconhece os motivos que levaram uma ação policial a apreender computadores e documentos na sede em Santarém (PA).

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS