Amiga de Bolsonaro, Karol Eller é agredida na praia do Rio e tem rosto desfigurado

0
347

Apoiadora de Jair Bolsonaro, Karol Eller é agredida brutalmente no Rio de Janeiro por um homem ainda não identificado

Conhecida como uma das homossexuais mais aliadas do governo Bolsonaro, a mineira de 32 anos e youtuber Karol Eller foi vítima de uma agressão brutal no último domingo (15/12/19) na praia da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Assumidamente homossexual e com grande visibilidade na comunidade LGBT, Karol Eller foi uma das figuras responsáveis por desfazer às acusações de “homofobia” contra o então candidato à presidência Jair Bolsonaro, em 2018.

Desde então Karol Eller mantém uma estreita amizade com a família Bolsonaro, especialmente com o filho mais novo, Jair Renan, com quem tem bastante intimidade, segundo informações do jornalista Leo Dias.

Karol Eller agredida

Morando há apenas uma semana no Rio de Janeiro, Karol sofreu um ataque enquanto estava na praia com a sua namorada, em um quiosque, quando foi abordada por um homem, que, já de forma violenta, a questionou:

“Como é que você consegue namorar um mulherão desses hein?”. A provocação rapidamente se tornou em agressão física. Karol sofreu vários socos e pontapés, sendo socorrida apenas pela namorada quando já estava desacordada e levada para um quartel do Corpo de Bombeiros em seguida.

O jornalista Leo Dias divulgou imagens exclusivas do rosto de Karol Eller já desfigurado após às agressões, com vários hematomas. Uma delas segue abaixo, onde é possível observar a gravidade das lesões no rosto da youtuber.

Karol Eller é agredida na praia do Rio de Janeiro. Reprodução: Jornal de Brasília
Karol Eller é agredida na praia do Rio de Janeiro. Reprodução: Jornal de Brasília

Outro ataque

Não foi a primeira vez que Karol Eller foi agredida fisicamente. Em outra ocasião, em abril desse ano (2019), ela sofreu agressões, mas por ser apoiadora de Jair Bolsonaro.

Quando morava em Minas Gerais, Karol foi atacada por opositores ao presidente. Ela e outros “gays de direita”, como o maquiador Agustin Fernandez, enfrentam forte reação do ativismo LGBT pelo apoio declarado ao governo.

Na época do primeiro ataque à sua colega, o maquiador comentou: “Como eu disse alguns meses atrás, essa raça desgraçada acusa a gente daquilo que eles são: opressores, fascistas, LGBTfobicos e intolerantes a qualquer ideologia que não seja a deles.”.

Depois do novo ataque na Barra, a youtuber se recupera da violência em casa.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO