Greta Thunberg é eleita a ‘pirralha’ do ano

0
334

Ditadores como Adolf Hitler (1938), Stalin (1939 e 42), Nikita Khrushchev (1957) e Aiatolá Khomeini (1979) já receberam o título pela revista Time.

Sem conseguir o prêmio Nobel da Paz de 2019, a ativista catastrófica Greta Thunberg, de 16 anos, conhecida nas redes sociais como “Piralha”, “Brat” ou “Snotaap”, foi consolada sendo eleita a ‘Pessoa do Ano’ pela revista Time.

A menina sueca é filha de ativistas da ANTIFA e ficou conhecida por ser uma espécie de marionete nas mãos de globalistas.

Ela recebeu o apelido nas redes sociais de “piralha”. De acordo com o dicionário informal, uma menina intrometida, enxerida, exibida e metida a adulto.

A pobre garota, que ‘teve sua infância e sonhos roubados’, é usada em uma campanha irresponsável, destrutiva e degradante que apresenta um discurso catastrofista em “em defesa do meio ambiente” – repetido há décadas e décadas seguidas – sobre um “aquecimento global” que vem sendo falsamente apresentado como um problema mundial apocalíptico.

No entanto, a verdade é que essa campanha esquerdista não passa de um programa de lavagem cerebral que está sendo firmemente incorporado à educação e à sociedade, patrocinado por capitais suspeitos como de George Soros e até mesmo da ONU.

O título dado à Greta de “Pessoa do Ano” (Person of the Year) é uma edição anual da revista Time que destaca o perfil de um homem, mulher, casal, grupo, ideia, lugar ou máquina que ‘para o bem ou para o mal, mais influenciou eventos no ano’.

A tradição de escolher um “Homem do Ano” começou em 1927, quando os editores da Time estavam pensando sobre o que escrever numa semana de poucas notícias.

Inicialmente, eles buscaram remediar um constrangimento editorial de mais cedo naquele ano, quando a revista não colocou o aviador Charles Lindbergh na sua capa após o histórico voo transatlântico.

No fim do ano, eles vieram com a ideia de uma reportagem de capa sobre Lindbergh ser o ‘Homem do Ano’.

Desde então, uma pessoa, grupo de pessoas (um time de indivíduos escolhidos ou uma categoria demográfica), ou, em dois casos especiais, uma invenção e o planeta Terra, vem sendo escolhido para uma edição especial no fim de cada ano.

Em 1999, o título foi alterado para ‘Pessoa do Ano’, em um ‘esforço para evitar o sexismo’.

Desde 1927, cada presidente dos Estados Unidos foi uma Pessoa do Ano pelo menos uma vez, com a exceção de Calvin Coolidge, Herbert Hoover e Gerald Ford.

Polêmica

O título é frequentemente confundido como uma honra.

Muitos, incluindo alguns membros da imprensa, continuam a perpetuar a ideia de que a posição de ‘Pessoa do Ano’ é um prêmio ou recompensa, apesar das frequentes declarações da revista dizendo o contrário.

Parte da confusão parte do fato de que muitas pessoas admiráveis (sob certo ponto de vista) receberam o título — talvez a maioria.

Por isso, alguns jornalistas descrevem a nova pessoa do ano como mais uma no ‘grupo’ de vencedores passados como Martin Luther King , eleito pela revista em 1963.

O fato de que pessoas como Adolf Hitler (1938), Stalin (1939 e 42), Nikita Khrushchev (1957) e Aiatolá Khomeini (1979) já terem recebido o título é pouco conhecido.

Portanto, fica ao público a interpretação do título dado à Greta Thunberg de “Pessoa do Ano”: para o bem ou para o mal, ela foi a “piralha” que mais influenciou eventos no ano de 2019.

Você já fez a sua interpretação?

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO