Cineasta Petra Costa de ‘Democracia em Vertigem’ admite que editou foto

0
122

Reportagem da revista “Piauí” revelou que uma foto exibida por quatro segundos no documentário foi adulterada para esconder duas armas registradas.

Cena do assassinato de Pedro Pomar e Ângelo Arroyo disponível no site Memorial da Democracia. Imagem apareceu sem as armas no documentário Foto: Memorial da Democracia/ReproduçãoCena do assassinato de Pedro Pomar e Ângelo Arroyo disponível no site Memorial da Democracia. Imagem apareceu sem as armas no documentário Foto: Memorial da Democracia/Reprodução.

Veja comparação da foto forjada para remover as armas e a foto original

Resultado de imagem para Reportagem da revista “Piauí” revelou que uma foto exibida por quatro segundos no documentário foi adulterada para esconder duas armas registradas

Foto adulterada

Resultado de imagem para Reportagem da revista “Piauí” revelou que uma foto exibida por quatro segundos no documentário foi adulterada para esconder duas armas registradas

Foto original

Lançado em junho, o documentário “ Democracia em Vertigem ”, dirigido por Petra Costa, voltou ao foco do debate político ontem por uma questão não relacionada ao tema central da produção, a condução do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff , do PT, em 2016. Reportagem da revista “Piauí” revelou que uma foto exibida por quatro segundos no documentário foi adulterada para esconder duas armas registradas ao lado dos corpos dos militantes Pedro Ventura Felipe de Araújo Pomar e Ângelo Arroyo, dirigentes do Partido Comunista do Brasil, mortos em 16 de dezembro de 1976 pela ditadura militar.

Na imagem mostrada no documentário as armas não aparecem Foto: Reprodução
Na imagem mostrada no documentário as armas não aparecem Foto: Reprodução

Em nota enviada por sua assessoria, Petra Costa confirmou ao GLOBO a alteração na imagem exibida no documentário. O registro fotográfico original da cena da morte dos militantes integra o arquivo do Instituto de Criminalística de São Paulo, e consta de um laudo resgatado pela revista. Na imagem que aparece em “Democracia em Vertigem”, estão ausentes um revólver Taurus, calibre 38, e uma carabina Winchester, calibre 44.

“As armas foram removidas da imagem e há uma razão para isso. Eu esperava que alguém do público notasse. Como afirmei no documentário, Pedro era o mentor político da minha mãe, e foi amplamente reconhecido que a polícia plantou armas ao redor dos corpos dos ativistas assassinados, como uma desculpa para seus assassinatos brutais”, defendeu Petra Costa.

A diretora afirmou também que considerou a atitude uma homenagem a Pomar, já que retrataria uma imagem “mais provável à verdade”. Petra menciona os cineastas Werner Herzog e Joshua Oppenheimer como inspirações para a escolha e ressaltou ainda que a Comissão Nacional da Verdade levantou provas de que as armas teriam sido plantadas pela polícia no episódio que ficou conhecido como “Chacina da Lapa”.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS