Rússia é criticada por vender boneca travesti para crianças

0
88

Usuários de redes sociais protestaram contra o brinquedo

A venda de uma boneca travesti causou indignação na internet. A boneca, vestida com roupas femininas, mas com genitália masculina, foi vista na loja Planeta Igrushek (Planeta dos Brinquedos), na cidade de Novosibirsk, na Rússia.

As informações, a respeito do caso foram divulgadas pelo jornal britânico Daily Star.

Fotos da boneca, compartilhadas online, causaram um grande número de reclamações.

– É bom produzir brinquedos como esse para crianças? – questionou o usuário de uma rede social.

No Twitter, várias pessoas também protestaram após outro jornal ter divulgado o mesmo assunto. As críticas não foram para o Daily Mail, mas a respeito da boneca travesti.

Embora tenha sido apontada como ‘a primeira boneca trans do mundo’, vários jornais destacaram que esse não foi o primeiro episódio de debates gerados por conta de bonecos transgêneros.

Em 2014, a miniatura de uma fada, que parecia ter genitália masculina, foi marcada como a primeira boneca transgênero do mundo. O brinquedo, que estava à venda na Argentina, causou choque entre pais depois que uma mãe postou uma foto em sua conta do Facebook.

Na ocasião, a mulher alegou que sua filha de 3 anos descobriu o que parecia ser uma genitália masculina debaixo da saia da boneca enquanto brincava. O brinquedo foi fabricado na China e adquirido pelo atacadista argentino Once. O caso gerou um grande debate entre os argentinos, e foi considerado chocante.

Além disso, em 2017, a ativista de direitos LGBT, Jazz Jennings, teve uma boneca, que não apresentava nenhum órgão genital. A boneca foi feita pela Tonner Doll Company.

Já em setembro do ano passado, a Mattel anunciou a estréia da primeira linha de bonecas neutras em termos de gênero.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS