Crânio deformado de 9,9 mil anos encontrado em caverna no México

0
35

A mulher é um dos primeiros habitantes conhecidos do que é atualmente o México.

Exploradores de cavernas encontraram o misterioso túmulo subaquático de uma mulher, que vivia na península de Yucatán há pelo menos 9,9 mil anos.

A cabeça da mulher apresenta três lesões distintas, indicando que algo a atingiu com força, quebrando os ossos do crânio.

O crânio também estava cheio de deformações semelhantes a crateras, lesões que se parecem com aquelas causadas por um parente bacteriano da sífilis.

Wolfgang Stinnesbeck, professor do Instituto de Ciências da Terra da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, declarou:

“Parece realmente que essa mulher teve um momento muito difícil e um final extremamente infeliz de sua vida.”

Segundo a emissora Fox News, Stinnesbeck acrescentou:

“Obviamente, isso é especulativo, mas dados os traumas e as deformações patológicas em seu crânio, parece provável que ela tenha sido expulsa de seu grupo e morta na caverna ou deixada na caverna para morrer lá.”

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS