Hans River denunciou assédio de jornalista da Folha de São Paulo em 2018, diz Bolsonaro

0
173

“Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim”, ironizou Jair Bolsonaro sobre atuação de jornalista da Folha de São Paulo.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a denunciar, nesta terça-feira (18), supostos métodos obscuros utilizados pela jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo, para obter informações comprometedoras contra ele.

Na última semana, em depoimento à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, o ex-funcionário da empresa Yacows, Hans River Rio do Nascimento, disse que a jornalista ofereceu sexo em troca de informações sobre o caso envolvendo o disparo de mensagens em massa pelo WhatsApp.

Nesta terça-feira, em frente ao Palácio da Alvorada, em Brasília, Bolsonaro citou um depoimento anterior de Hans River ao Ministério Público Federal (MPF) sobre o assédio praticado por jornalista da Folha:

“O depoimento do Hans River, foi final de 2018 para o Ministério Público, ele diz do assédio da jornalista em cima dele.”

O chefe do Executivo acrescentou:

“Ela [repórter] queria um furo. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim [risos dele e dos demais]. Lá em 2018 ele [Hans] já dizia que ele chegava e ia perguntando: ‘O Bolsonaro pagou pra você divulgar pelo Whatsapp informações?’ E outra, se você fez fake news contra o PT, menos com menos dá mais na matemática, se eu for mentir contra o PT, eu tô falando bem, porque o PT só fez besteira.” 

Bolsonaro completou:

“Tem um povo aqui [em referência a um grupo de simpatizantes], alguém recebeu no zap uma matéria qualquer que suspeitou pra prejudicar o PT e me beneficiar? Ninguém recebeu nada. Não tem materialidade, zero, zero zero. Você não precisa mentir pra falar sobre o PT, os caras arrebentaram com Petrobras, fundo de pensões, BNDES…”

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO