Hans River diz que empresa fazia disparos em massa no WhatsApp para o PT e não para Bolsonaro

0
194

Hans River deixou a esquerda mentirosa e a Folha de São Paulo em pânico, por expor a verdade, e dizer que as informações do jornal são falsas

A CPMI das Fake News ouviu nesta terça-feira (11) Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da Yacows, acusada falsamente pela Folha de S. Paulo de fazer disparos em massa via WhatsApp durante a campanha eleitoral do então candidato à presidência, Jair Bolsonaro.

O requerimento para ouvir Hans foi protocolado por Rui Falcão (PT). O ex-funcionário, no entanto, afirmou que a empresa trabalhava para o PT e Lula e que nem Bolsonaro, nem o o governador de São Paulo, João Doria, estavam envolvidos.

 “Todo mundo vem me fazer a pergunta mais incômoda: você fez a campanha política do Doria, do Bolsonaro? E eu não peguei a campanha dos dois”, afirmou.

Hans também disse ter comentado com pessoas próximas que estava fazendo campanha “de todo mundo” e que Bolsonaro não estava fazendo.

Assista:

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO