A reação polonesa contra a União Européia e o Coronavírus – Parte 2

Você acredita que manter as fronteiras abertas em tempos de epidemia é uma medida prudente ou arriscada? Evidências do mundo real dão uma amostra da resposta.

0
92
Efeito da quarentena na Europa
Fonte: https://ourworldindata.org/coronavirus

Se em nossa Parte 1 escrevemos sobre os passados conflitos entre a União Européia e os países ditos “rebeldes” (Hungria, Polônia e às vezes Eslováquia), neste entraremos de fato no presente: como tudo isso se relaciona com os impactos do Coronavírus e da epidemia de Covid19 na Europa.

Quais países entraram em lockdown (quarentena) primeiro?

No gráfico abaixo vemos que os rebeldes Hungria e Polônia estiverem entre os primeiros a entrar em lockdown na Europa.

Países europeus em lockdown
Fonte: https://www.politico.eu/article/europes-coronavirus-lockdown-measures-compared/

Os Húngaros, Eslovacos e Poloneses, já no meio de março, estavam tomando medidas para frear a velocidade do vírus chinês. Isso antes sequer de registrarem a primeira vítima fatal. Enquanto isso, a Itália e Espanha, que na época já tinha milhares de casos, levavam a vida normalmente.

Uma das primeiras medidas tomada por estes países foi justamente aquela que gerou mais críticas dentro da União Européia: a imediata fiscalização e fechamento das fronteiras (exceto para cargas e serviços médicos).

Claro que a União Européia iria ficar insatisfeita com as enérgicas medidas de contenção. Não só os burocratas de Bruxelas ainda não levavam a epidemia a sério, como eles desejavam que todos não a levassem e mantivessem suas fronteiras abertas. Mas os Poloneses, Húngaros e Eslovacos decidiram ir no caminho contrário dos Espanhóis, Italianos, Franceses, Belgas e Holandeses.

Isso se provou uma escolha muito acertada.

Como a epidemia de Covid19 afetou os países amigáveis à UE e os rebeldes.

A diferença entre a velocidade que a epidemia se espalhou entre os diferentes países europeus é brutal. O mesmo Coronavírus que faz dezenas de milhares de vítimas em um país como a Holanda, não tem 10% do efeito mortal na vizinha Polônia, mesmo que esta tenha uma população muito maior.

O Gráfico abaixo mostra o número de vítimas por Covid19 em 5 países: Holanda e Bélgica, que entraram em quarentena apenas no fim de Março, e Polônia, Hungria e Eslováquia, que entraram bem antes.

Efeito da quarentena na Europa
Fonte: https://ourworldindata.org/coronavirus

Holanda e Bélgica, ainda que juntos tenham uma população menor do que a da Polônia sozinha, sofrem efeitos terríveis do vírus.

Até hoje, os dois países continuam com as fronteiras abertas.

Os dois países também possuem governos entusiastas da União Européia, que por sinal, tem sua sede na Bélgica.

E você, caro leitor, após esse artigo sobre os impactos do Coronavírus e da epidemia de Covid19 na Europa, o quê pensa a respeito? Acredita que manter as fronteiras abertas em tempos de epidemia é uma medida prudente ou arriscada?

 

Autor: Levi Borba, fundador da Consultoria Colligere, empreendedor no ramo de Hostelaria na Europa ,colunista da página Conservadorismo do Brasil e autor do livro O que o Brasil pode aprender com a Polônia – Lições para reconstruir um país .

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS