Carreatas contra o isolamento se espalham pelo mundo

Método é mais seguro em meio à pandemia do coronavírus

0
81

Com as regras de isolamento social para conter o coronavírus, protestar sem sair do carro virou uma prática em várias cidades dos EUA, mas também na Polônia, na Austrália e no Brasil.

Nesse modelo de manifestação, um grupo de carros anda junto pelas ruas, em baixa velocidade, tocando buzinas e cornetas e usando alto-falantes. Os veículos levam bandeiras, faixas e cavaletes com as mensagens que os ativistas defendem.

A tática faz com que grupos de poucas pessoas ocupem grandes áreas nas ruas. Uma fila de 40 carros gera um impacto visual bem mais forte, por demandar mais espaço, do que o de 40 pessoas marchando a pé, por exemplo.

Nos EUA, houve nos últimos dias carreatas de protesto pelo fim da quarentena em estados como Califórnia, Maryland, Michigan e Minnesota.

Em uma cena que se espalhou pelas redes sociais no fim de semana, profissionais de saúde ficaram parados em uma rua de Denver, no Colorado, para bloquear a passagem de uma carreata a favor da reabertura do comércio.

Uma mulher, de dentro de uma picape, coloca o corpo para fora da janela e começa a gritar frases como “Terra dos livres! Vá para a China se você quer comunismo. Você pode ir trabalhar e eu não?” em direção a um funcionário com uniforme de hospital.

Os protestos não são apenas pela reabertura do comércio. No Arizona, cerca de 200 carros foram até um centro de detenção no dia 10, em um ato contra a liberação de imigrantes irregulares, debatida como forma de tentar conter a propagação do coronavírus nas prisões.

Já em Minnesota, ativistas dirigiram até a casa do governador para pedir o contrário: que ele liberasse imigrantes presos, de modo a protegê-los da Covid-19.

Em Melbourne, na Austrália, manifestantes também protestaram pela libertação de imigrantes irregulares, que estavam confinados em um hotel. Ao menos 26 participantes foram multados pela polícia, por desrespeitar as regras de distanciamento social, segundo o site ABC, na segunda passada (13).

No Brasil, houve carreatas contra o isolamento social em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília no último fim de semana.

Protestos a bordo de veículos não são novidade, mas eram mais comuns em estradas. Ao menos desde os anos 1960 há registros de tratores, caminhões e carros sendo usados por agricultores para fazer bloqueios. No Brasil, em 2018, a greve dos caminhoneiros também teve protestos motorizados e bloqueio de vias.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO