Diretor-geral da Polícia Federal não pediu pra sair, diz Sérgio Moro

“Eu não tinha problema com a troca do diretor-geral, mas eu precisava de um motivo”, disse Moro.

0
85

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, demonstrou repúdio com a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo.

Moro disse que tentou, ao máximo, evitar a troca no comando da PF, mas o presidente da República, Jair Bolsonaro, foi irredutível na demissão de Valeixo.

Em seu discurso de demissão, nesta sexta-feira (24), Moro declarou:

“Busquei postergar essa decisão, às até sinalizando que poderia concordar com essa possibilidade no futuro. Mas cada vez mais me veio a sinalização de que seria um grande equívoco realizar essa substituição.”

O ministro acrescentou:

“Eu não tinha problema com a troca do diretor-geral, mas eu precisava de um motivo. O trabalho vinha sendo bem feito. […] O grande problema [com a troca] é que estaria claro que haveria ali uma interferência política na PF.”

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO