Moro alerta para interferência política de Bolsonaro na Polícia Federal

“A autonomia da PF […] é um valor fundamental que temos que preservar no estado de direito”, disse Moro.

0
45

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, alertou que o presidente da República, Jair Bolsonaro, tentou interferir na gestão da Polícia Federal (PF).

Em seu discurso de demissão, Moro disse que Bolsonaro quer alguém do “contato pessoal dele” no cargo de diretor-geral da PF:

“Presidente me disse mais de uma vez que ele queria ter uma pessoa do contato pessoal dele, que ele pudesse ligar, colher relatórios de inteligência. Realmente não é o papel da Polícia Federal prestar esse tipo de informação. As investigações têm que ser preservadas.” 

O ministro acrescentou:

“Imaginem se durante a própria Lava Jato, o ministro, um diretor-geral, presidente, a então presidente Dilma, ficassem ligando para o superintendente em Curitiba para colher informações sobre as investigações em andamento.” 

E completou:

“A autonomia da Polícia Federal como um respeito à autonomia da aplicação da lei, seja a quem for isso, é um valor fundamental que temos que preservar no estado de direito.”

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO