DW demite colunista brasileiro que pediu morte de Bolsonaro

0
196

DW classificou tuíte de Cuenca como “discurso de ódio e incitação à violência”.

A emissora Deutsche Welle (DW), da Alemanha, demitiu, nesta sexta-feira (19), o colunista brasileiro J.P. Cuenca por ameaças à família do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Em mensagem no Twitter, o escritor, que já passou por The Intercept, Folha de S.Paulo e O Globo, declarou:

“O brasileiro só será livre quando o último Bolsonaro for enforcado nas tripas do último pastor da Igreja Universal.”

Em relação ao post, a emissora DW disse que “repudia, naturalmente, qualquer tipo de discurso de ódio e incitação à violência”:

“A Deutsche Welle repudia, naturalmente, qualquer tipo de discurso de ódio e incitação à violência. O direito universal à liberdade de imprensa e de expressão continua sendo defendido, evidentemente, mas ele não se aplica no caso de tais declarações.”

Por outro lado, o escritor classificou o comunicado da emissora como “mentiroso, covarde e difamatório”:

“É desconcertante ver um veículo alemão caindo no jogo persecutório de elementos fascistas no Brasil. […] Infelizmente terei que tomar as medidas cabíveis e levar isso às últimas consequências.”

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO