‘Liberdade de expressão tem que ser para todos’, diz Bolsonaro

0
73

“Se o cara me chama de fascista, por exemplo, não acontece nada”, diz Bolsonaro.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, reclamou, nesta quinta-feira (4), da diferença na abordagem da Justiça em relação a processos que envolvem seu nome.

Em conversa com apoiadores na entrada do Palácio do Alvorada, em Brasília, Bolsonaro ouviu a sugestão de um homem para seguir o conselho do escritor Olavo de Carvalho e processar quem o chamasse de “genocida”.

O chefe do Executivo alegou que não tem sucesso em ações judiciais deste tipo:

“Se o cara me chama de fascista, por exemplo, não acontece nada. Se eu chamo de fascista, é 20 mil [reais] no lombo. Se é liberdade de expressão, tem que ser para todos.”

No breve encontro, de cerca de 5 minutos, a conversa girou principalmente em torno de tiro esportivo, já que estavam na frente do Alvorada integrantes dos chamados CACs, que é a sigla para Caçador, Atirador e Colecionador.

Confira no vídeo:

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO