Globo mostra mais óbitos por coronavírus do que os cartórios

0
272

Números oficiais indicam que resultado é bem menor que o divulgado pelos órgãos de imprensa

Segundo dados divulgados pelo portal de Transparência do Registro Civil, plataforma onde cartórios de todo o país disponibilizam informações e dados estatísticos sobre nascimentos, casamentos e óbitos, os dados sobre a Covid-19 são bem menos “assustadores” do que tem sido divulgado pelo chamado “consórcio de veículos de imprensa” que integra grupos de comunicação como a Folha, Globo e Estadão.

Os números dos registros oficiais apontam, por exemplo, que o pico de óbitos da pandemia, baseado na chamada média móvel, a mesma que tem sido utilizada pelos veículos para corrigir distorções como fins de semana e feriados, já teria acontecido no mês de maio, quando esse número chegou a 934 mortes por dia. Desde então, a curva média é descendente e fechou a segunda-feira (20) em 304, resultado 71% menor que as 1.047 mortes apontadas pelos veículos.

Pico de mortes e da média aconteceu ainda no mês de maio, segundo cartórios Foto: Reprodução

Outra conta bem diferente da divulgada pelos veículos é a quantidade de mortes diárias. Com bastante frequência, os órgãos de imprensa apontam que o país registrou mais de mil mortes em um único dia, com o dado levando em conta, porém, o dia em que as mortes foram registradas. Na análise dos cartórios, que leva em conta a data do óbito propriamente dito, esse número não ultrapassou nenhuma vez as mil mortes, o resultado mais próximo foi de 975 mortes registradas no dia 25 de maio.

Gráfico com dados divulgados pelo G1, bem maiores que o cartório Foto: Reprodução

Quando os números são divididos em dados locais, o resultado também é bastante diferente do apresentado pelos veículos de imprensa. Em São Paulo, por exemplo, onde o consórcio aponta até esta terça-feira (21) uma média móvel de 269 mortes, os números cartoriais estão em 69. No Rio de Janeiro, onde a média oficial dos cartórios está em 39, a média publicada nos portais está em 98.

É fato que a diferença pode ser caracterizada pelo fato de que algumas mortes ainda não foram registradas oficialmente. Porém, como os cartórios incluem tanto os óbitos confirmados quanto os suspeitos de Covid, não é de se esperar que esse número varie tanto e ultrapasse a diferença entre o quantitativo divulgado pela imprensa e o total cartorial, que é cerca de 60% menor.

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO