Medo e desconfiança fazem público abandonar telejornais

0
453

Brasileiros relatam os motivos de deixar de acompanhar alguns telejornais

A queda brusca de audiência da CNN Brasil na última semana, na qual caiu 18 posições no ranking de canais assistidos, é um reflexo também da resistência do público com noticiários. Apesar de menor, a redução da audiência também foi sentida pela GloboNews. Em julho, ela foi ultrapassada pelo canal de entretenimento Viva.

Na televisão aberta, o Jornal Nacional amargou a perda de 732 mil telespectadores entre março e julho. Os dados são do TV Foco. Eles refletem a perda de interesse dos telespectadores pelas notícias. O Pleno.News foi atrás dos motivos pelos quais as pessoas deixaram de assistir a telejornais.

SATURAÇÃO DE NOTÍCIAS RUINS
A baiana Josi da Silva Santos, de Salvador, informou ao Pleno.News que passou a ficar com mais medo nesta pandemia. Ela ainda deu um conselho a quem está se sentindo inseguro durante a quarentena.

– Não assisto para não enlouquecer. Pare de ver notícias na TV e viva normalmente na medida do possível com todos os cuidados. (Neste momento de pandemia) você já está com o seu psicológico afetado e, como diz minha avó, “mente vazia, oficina do diabo”. Confie em Deus e tudo dará certo – declarou.

FALTA DE LIBERDADE DE IDEIAS
Para a pedagoga Rosa Cavalcanti, do Rio de Janeiro, a parcialidade dos jornalistas incomoda.

– Eu não assisto mais telejornal porque a notícia vem com a visão do repórter e não na sua essência. A condução dada é de quase como se estivessem impondo sua opinião. A liberdade de ideias ultimamente se perdeu. Prefiro buscar informações nas mídias alternativas e discutir de forma sadia com diferentes grupos – declarou.

Não assisto para não enlouquecer

A opinião é compartilhada pela nutricionista Saskia Batista, de 40 anos de idade. Ela aponta que sente que a internet é mais confiável.

– Nas grandes emissoras de televisão, o jornalismo não é imparcial e acaba por apresentar muitas notícias da forma que lhe convém. Prefiro me informar através dos jornais online. Quando recebo uma notícia, me dou ao trabalho de checar antes no Google para ver se é fake ou fato, daí eu decido se vale repassar – revelou.

Nutricionista Saskia Batista revela como se mantém informada Foto: Reprodução 

DESCONFIANÇA DA EMISSORA
Outro motivo para dessintonizar dos noticiários é o dado pelo carregador Cassio Baroni, de São Paulo. Ele afirma que a maioria dos telejornais manipulam a informação.

– Noticiários da TV assisto muito pouco. Tentei assistir ao Jornal Nacional no último sábado, mas em menos de cinco minutos troquei de emissora. Manipulam a informação! Acredito que a grande maioria das emissoras, ou parte delas, não informam como deveriam. Eu fico sabendo das notícias através das mídias digitais, YouTube, Instagram – afirmou.

Ao Pleno.News, ele também contou como faz para se resguardar de fake news.

– Para saber se é verdadeira, eu pesquiso na própria internet, em sites relacionados à matéria. Por exemplo, se uma determinada matéria fala sobre o Rio de Janeiro, pesquiso sobre o assunto em sites cariocas, sites da Prefeitura do Rio e do estado para saber a veracidade da mesma – explicou.

Carregador Cassio Baroni representa grande parte do público que não costuma assistir a telejornais Foto: Arquivo pessoal 

Em menos de cinco minutos troquei de emissora

NÃO É PRIORIDADE
Já para a médica Priscila Reis, do Rio de Janeiro, declarou que acha importante estar atualizado, mas que não consegue o tempo para assistir aos noticiários.

– Eu acho que é importante sim a gente saber o que está acontecendo, principalmente neste momento, mas eu trabalho o dia inteiro, chego em casa super cansada e aí quero ficar com a minha família, meus filhos. A última coisa que eu vou pensar em fazer é ligar a televisão – afirmou.

Chego em casa super cansada e aí quero ficar com a minha família

CURTA O CONSERVADORISMO DO BRASIL NO FACEBOOK

COMENTÁRIOS

CONTEÚDO PATROCINADO